San Pedro de Atacama | Chile – infos e obs.

Passei calor, senti frio; o cheiro de areia impregna na sua pele e roupas; o nariz fica irritadíssimo; fiquei com dor na coxa já no primeiro passeio; passeios, hospedagem e alimentação não são baratos; minhas unhas nunca estiveram tão péssimas; MAS tudo isso compensa pra ir a San Pedro de Atacama, o deserto mais seco do mundo.

São imagens de lugares que nunca mais sairão da memória…

Minha referência para deserto era o Saara, com dunas e mais dunas, e um oásis aqui e outro ali perdido na imensidão de areia.

Esqueça essa imagem quando for ao Atacama.

É um cenário heterogêneo muito surreal. Vizinho um ao outro você encontra dunas de areia, montanha de pedra vulcânica, vegetação, lagoas com flamingos…

_DSC0232

Seguem algumas informações e observações (baseadas nas minhas experiências e impressões):

Fiquei 8 dias, sendo que cheguei já no final da tarde, e a volta foi de manhã, então, foram praticamente 6, e suficientes, mesmo fazendo quase sempre um passeio por dia.

As passagens aéreas foram pela TAM (voos internacionais)e LAN (internos). Comprei tudo no mesmo pacote (até para garantir caso um dos voos atrase, por exemplo). Tem conexão em Santiago na ida e volta.

Avião chacoalha muito no caminho chegando ou saindo de Calama (aeroporto mais próximo de Atacama), tanto que algumas pessoas chegam a soltar gritos… rs

Para ter o valor aproximado de pesos chilenos em reais (referência em jan 2015), tire os 3 últimos zeros e multiplique por 4. Por exemplo: 1.000,00 pesos chilenos equivalem a R$ 4,00.

Pesquisei bastante por hospedagem, queria ficar num quarto com banheiro, o que fica mais caro… No final fechei no Laskar hostel, reserva feita pelo Booking.com, portanto, cobrado em dólar e depois convertido em pesos… Só aceita pagamento em pesos chilenos, nada de dólar ou cartão de crédito, solo em efectivo.

Gostei da equipe do lugar, que fica uns 10, 15 min. da rua Caracoles. O quarto era limpo e arrumado todos os dias. Não inclui café da manhã. Como é muito quente durante o dia, tinha que deixar a porta e janela aberta para ventilar. Os quartos ficam voltados para o pátio central, se quiser mais sossego, é complicado, pois sempre tem uma galera lá comendo e/ ou bebendo. O “toque de recolher” é às 00h00. Tem cozinha coletiva, dá para deixar as comidas na geladeira. Café e chá à vonts.

O transfer para sair e chegar a São Pedro do Atacama foi feito pela Trans Licancabur, e já deve ter sido bom, mas recomendo outro. Não tive uma boa experiência, é muito cheio, e por ter muita gente, pode demorar para chegar no seu hotel/ hostel (fui a penúltima), o motorista foi muito leeento (saí do aeroporto umas 15h00 e cheguei no albergue 2h30 depois…). Há outras opções de empresas, todas elas ficam na saída do desembarque. Se fechar ida e volta, rola desconto.

Para o seguro, desta vez fui de Mondial. Sugiro procurar sites, blogs de viagem que disponibilizam desconto… =)

Felizmente não precisei usar, portanto não consigo avaliar o serviço.

A rua Caracoles concentra o comércio, restaurantes, agências de passeios, lojas, mercadinhos, e farmácias. Nas travessas e paralelas também têm, um pouco mais barato. As ruas principais, além dela são Gustavo Le Paige, Toconao (onde estão localizadas algumas casas de câmbio, acho que nenhuma é oficial), Tocopilla e Calama.

_DSC0010

Para os regallos, os preços das lojas na Caracoles e na feirinha (que fica na praça) é praticamente o mesmo.

Vi umas 3 farmácias na cidade. Têm uns 3 lugares para sacar dinheiro inclusive em uma das farmácias que fica na Caracoles. Não cheguei a tirar dinheiro, portanto não sei se chega mesmo a faltar, como li em alguns blogs.

É tranquilo andar na cidade mesmo à noite.

Os preços de passeios são quase os mesmos nas agências, o que pode variar são a duração e percurso. A Lickan Antay (o escritório fica dentro de uma vendinha) é a que deu mais desconto, mas acabei fechando todos com a Turis tour. Peça para ir com os guias Eduardo ou Gustavo!!

Pode pagar em pesos chilenos (não aceitam dólares) ou cartão de crédito. Acima de 3 passeios, se pagar tudo junto, rola desconto de 10% mesmo no pagamento com cartão.

A minha objeção é em relação ao passeio que inclui Salar de Atacama e Lagunas Altiplânicas, pois gostaria de ter ficado mais tempo nas duas últimas. Na segunda lagoa, ficamos somente 10 minutos! Ok, não é possível chegar próximo delas, há uma trilha que deve ser respeitada na primeira e na segunda há somente um mirante, mas 10 minutos é sacanagem!!

Cada agência parece fazer seu próprio roteiro para o mesmo local que outra, portanto, se você fizer questão de passar por lugar X e Y, se informe antes sobre o percurso.

Todas as recomendações que você ler sobre o Atacama em sites, blogs, revistas e etc., são válidas, não se esquecer de: protetor solar para rosto e corpo (lembrar de passar no colo, orelha), boné ou chapéu, tênis (fui com de academia, se for de trekking, ajuda…), protetor labial, calça que vira bermuda ajuda em alguns passeios que duram o dia todo.

No verão, levar roupa de inverno só para os passeios no Salar de Tara e Gêiser, de resto, roupa de verão e confortável. Para não queimar, mesmo de dia, usei camiseta branca de manga longa, você não vai suar, está no deserto. Para os passeios de dia, pode ser bermuda de malha ou caminhada ou calça de moletom.

Sim, mesmo durante o verão, de manhã cedinho e à noite fazem frio, uma blusa é suficiente. A temperatura só esfria depois que sol de põe, por volta das 21hs.

Beba muita água e não esqueça de levar umas 2 garrafinhas para os passeios.

Estou longe de ter porte atlético, e tirando Pukará, todos os outros passeios foram tranquilos, até porque, você não caminha durante muito tempo sob o sol escaldante… Anda um trecho vê algumas atrações e logo à frente a van está esperando por você.

Estudante paga meia em algumas entradas dos passeios (quase todos cobram).

Compre o garrafão de água de 6 litros e vá enchendo as garrafas menores.

Em vários passeios seu tênis vai encher de areia…

Comida: os lugares que mais valem a pena são os que têm “Menu do dia” com opções de entrada, prato principal e alguns oferecem sobremesa. Neles, os preços são mais ou menos 5.000 pesos chilenos. Dentre eles, tinha lido sobre El Toconar, e fui uma vez lá, pois as atendentes não são nada simpáticas, e se quiser suco natural, tem que pedir pra moça que fica na entrada, num “puxadinho” , ela ficou de ir na minha mesa, mas nem deu as caras… rs

Lugares que frequentei bastante:

Cafe El Pelegrino – fica na praça

Sol Inti – Calle Tocopilla, 432

La Pica Del Indio (sim, este é o nome… rs) – Calle Tocopilla, 418

Falam bastante da Heladeria Babalú. Tomei os sorvetes de Pisco e Tiramissu, não achei nada demais… =P

A igreja estava fechada para reformas… =(

Li muito sobre o Atacama no site da Silvia/ Matraqueando e do Viaje na Viagem.

Com a alta do dólar e por não saber se conseguiria trocar fácil dólares por pesos chilenos, decidi levar tudo em moeda local. E acho que foi melhor, pois a moeda norte-americana não estava sendo tão bem aceita quanto na Argentina.

Propina (gorjeta): 10% (opcional)

E gente, como tem brasileiro!! Em todos os lugares você escuta o português do Brasil!! rs

Última dica: Pare uns minutos para apreciar o por do sol, seja na cidade ou de outro local, é mara, mara!! O Licancabur, montanha que segundo os  nativos, protege a cidade, pode ser vista da cidade…

E aproveite o silêncio que alguns lugares propiciam…

_DSC100019

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s