Arquivo da categoria: places

São Miguel do Gostooooso (R

Mesmo antes de morar em Natal (RN), ouvia falar (muito bem) de um vilarejo de pescadores chamado São Miguel do Gostoso, localizado no litoral norte do estado.

Mês passado consegui finalmente conhecer o local.

Sabe lugar que parece cenográfico de tão lindo e que o tempo parou? É lá!

IMG_6308

Para chegar na cidade, fui de bus da Expresso Cabral. Comprei a passagem na rodoviária de Natal antes de embarcar. Dá para comprar ida e volta (passagem fica em aberto). Há dois tipos de trajetos, um mais rápido e outro mais longo, depende do horário, pois pode ser pinga-pinga. O ônibus é antigo, não tem cinto de segurança, mas chega… rs

Fiquei hospedada na Pousada Área Talismã, uma graça!
Quem toma conta é a simpatia Lili.

IMG_5828IMG_6299

Foi tudo perfeito!!

É só atravessar a rua, pegar uma trilhazinha, ou qualquer outra travessa da rua principal, e já chega na praia. Paraíso!

IMG_5599IMG_5648IMG_5680

IMG_6240

Lá, vi o por do sol tão mara quanto o de Atacama… Muito lindo e surreal.

IMG_6044

IMG_6141

Não explorei as outras praias, pois queria ficar “de boas”, mas da próxima vez, darei um rolé pelas vizinhanças.

MAC

Quando fazia o mestrado na USP, frequentava (às vezes), o MAC (Museu de Arte Contemporânea) que ficava dentro do campus.

Desde 2012, ele foi transferido para o prédio que comportava o Detran, em frente ao Parque do Ibirapuera.

Ótima mudança!

IMG_4435

IMG_4449

Este ano finalmente criei vergonha na cara e fui conhecer a nova “casa”.

Que grata surpresa, o prédio tem 7 andares, nem todos estão ocupados (ainda) por exposições.

IMG_4465IMG_4480

Como nem tudo são flores, sim, falta um café (tem só uma maquininha). Algumas expôs precisam ser melhor iluminados, mas nada que prejudique a visita.

IMG_4522IMG_4535IMG_4557

IMG_4498

Sugiro começar pelos andares inferiores e ir subindo. As obras mais famosas estão nos últimos andares.

IMG_4579

Tarsila do Amaral

IMG_4581

Modigliani

IMG_4583

Miró

IMG_4589

Picasso

IMG_4591

Matisse

IMG_4592

Chagall

 

E claro, tem o terraço, com  direito a vista 360 graus!

IMG_4622IMG_4624

E o melhor, entrada gratuita!

Link aqui.

 

Gira, gira, roda, roda…

img_6522

Depois de seis anos em Natal city, eis que retorno para SP.

Às vezes a vida te oferece outra trilha para percorrer. Então, sigamos avante!!

No valioso baú de memórias só guardei  e trouxe as boas experiências, histórias e pessoas…

 

img_6559

Redinha (RN)

img_9562

Logo que cheguei em Natal, isso no início de 2011, ouço o povo dizer: “Você precisa ir pra Redinha comer a original ‘ginga com tapioca'”.

Só que, nunca ninguém me levou! rs

Precisou eu estar com passagem comprada para voltar para SP de mala e cuia para os meus amigos finalmente me levarem para experimentar a iguaria.

Tapioca todo mundo conhece, ginga talvez não. Trata-se de um peixinho, primo da manjuba. E esse prato só é vendido na Redinha? Não, na praia geralmente passam vendedores oferecendo, mas todo mundo fala que não é igual à da Redinha.

Redinha é uma praia que fica na ZN de Natal, precisa-se passar pelo Forte dos Reis Magos (fiquei triste de não ter feito um último passeio lá) e atravessar a ponte nova. Do alto já dá pra ver a Redinha de um lado e o rio Potengi do outro.

Fomos num domingo. Acompanhei os amigos na missa (não sou católica praticante, mas adoro os rituais religiosos). A igreja é linda, toda de pedra, da década de 1950, acho. Quase em frente tem outra azul, mas parece que está fechada.

De lá, seguimos à pé para o famoso Mercado da Redinha. Lá dentro tem vários lugares que vendem o prato. Fomos no da Olga, que dizem ser o mais conhecido e gostoso.

A tapioca pode ser com ou sem leite de côco. Como gosto da massa mais molhadinha, pedi a primeira opção. Vem a tapioca com os peixinhos no meio, você tira o pauzinho que segura os peixes e manda ver!  Repeti de tão bom que tava (e esqueci de tirar fotos…)

Dica: Se quiser sossego, vá antes do almoço, porque depois fica muvucado.

Depois fomos caminhar no píer, que separa o rio do mar. Ô lugar massa! Dá pra passar o dia todo lá… Que lugar lindo… Uma vista mais fodástica do que a outra.

img_9494

 

Depois fomos para a praia que tava super vazia. No fundo da foto abaixo dá pra ver o píer.

Vidinha chata e sem futuro… #sqn

img_9569

 

 

Tese > Koreeda

10878399_ori

Foram quase quatro anos para a conclusão da tese.

Praticamente três anos lendo, assistindo e escrevendo sobre assuntos que tivessem relação (direta ou não) com o doutorado, que teve como tema o longa-metragem Seguindo em frente, do muso japonês Hirokazu Koreeda.

Tive dias felizes, e outros em que, por diversos motivos, pensei em desistir, achei que não daria conta. Loucura fazer doutorado e trabalhar, mas era o que tinha.

E ufa! Defendi o trabalho e fui aprovada  no dia 01/12/2016, uma quinta-feira ensolarada! Sim, oficialmente doutora.

Acho que até agora a ficha não caiu direito…

Fica a sensação de dever cumprido?

Em partes, porque a gente sempre quer e acha que poderia ter feito mais e melhor.

Mas fico com a sensação de dever cumprido para com o filme e o diretor. Fiz o meu melhor dentro das possibilidades e sempre com muito respeito por ambos, como se estivesse mesmo mexendo em “solo” sagrado.

Em breve pode ser que me despeça dos personagens e espaços cenográficos que permitiram que a pesquisa e o texto fossem desenvolvidos, e que tanto me ensinaram. Porém, de Koreeda não largo mais! rs

Tanta coisa ainda para explorar nos seus filmes…

 

44876414

Hotel Okura | Tóquio

Li a notícia da demolição do Hotel Okura, cuja arquitetura é representante da época da pós-guerra, e meu coração já ficou apertado.

Apesar de prometerem “reproduzir fielmente” o estilo original, sabemos que não será bem assim..

Por que esta necessidade de botar o local abaixo? Não seria suficiente fazer  restaurações, extensões? Necessidade estúpida de precisar “renovar” o tempo todo…

Este caso me lembra outro, que postei aqui anos atrás…

 

MG 2015.2/ 2016.1| Serviço

SERVIÇO:

Bus

Atualmente somente uma empresa rodoviária faz o trajeto São Paulo x São João del Rei (antes tinha outra), a Util, que na verdade deveria mudar seu nome para Inútil, seria mais adequado…
Comprar as passagens pelo site foi bem complicado, após escolha do dia, horário, poltrona e etc., você preenche os campos com seus dados pessoais e fica esperando que o sistema envie um link para o seu email para validar os dados, só que esse email nunca chega!
Liguei para o SAC, mandei email, e dias depois (!!!???) recebi a liberação para finalizar a minha compra, depois disso é só imprimir os vouchers.
Como não consta de qual rodoviária sai o ônibus de SP, tive novamente que ligar para confirmar (é do Tietê).
Na data da viagem, cheguei cedo, entrei na fila em frente ao guichê para pegar as passagens, conforme consta no voucher, quando a moça informa gritando que a retirada das passagens é no espaço Vip, localizado no andar de baixo, das plataformas de embarque…
Na ida, o ônibus chegou  no horário previsto (7 horas de viagem), mas na volta houve atraso de 1:30 (duração de 9 horas de viagem!!!)…

Ah, só tem o tipo de poltrona normal, nada de leito.

No fim de semana as passagens são mais caras.
Enfim, se for de ônibus para lá, prepare-se para o perrengue… rs
Hospedagem

Foi no Hotel Calcinfer, o preço super foi em conta: quarto suíte (frigobar, ventilador e tv que sintonizava somente Globo, SBT, Record e Band, mas tá valendo) com diária a R$ 70,00 (mesmo na virada). Tem outras opções de quartos.

O bom é que fica a uns 5 min. à pé da rodoviária, mas ao contrário do que consta no site, está a uns 2,5, 3km do centro histórico. Se estiver sozinha, não recomendo voltar à noite sozinha, vá de táxi, o funcionário disse que depois que escurece não é recomendado pegar ônibus.
O funcionário Alessandro é super simpático e prestativo! É ele quem responde os emails e é mais gentil ainda ao vivo e  a cores.
Café da manhã, wifi, e arrumação do quarto ok.
Não é hotel típico para viajantes, vi muitos funcionários da Petrobrás e representantes comerciais.

Perto tem supermercado Armandinho e Sales.

 

Passeio rupestre

Infelizmente não rolou… Foram muitas informações desencontradas.

Alguns disseram que precisava de 7 dias de antecedência para fazer reserva, pois se trata de área de treinamento militar, outros que só seria permitido depois de março, e outros que daria para ir…

Enfim, fica pra próxima

 

Agência de passeios

Apesar de São João e Tiradentes serem turísticas, há sério problema de informação turística confiável e mesmo de agências abertas no fim do ano.

Mesmo que não tenha feito passeios com elas, duas foram as que me responderam por WhatsApp e foram mega prestativas: Uai Trip (agência de Tiradentes), os donos são super atenciosos, respondendo mensagens inclusive à noite; e Rumos e rotas (São João); tem outras que não tem nem site  (galera, estamos em 2016!!), liguei, mandei mensagem, sinal de fumaça, mas nada de resposta…

 

Reveillón em São João

Se você procura agito, comemoração e etc., vá para outra cidade. Na virada tiveram alguns pouquíssimos fogos e só…

Alguns restaurantes estavam oferecendo ceia por R$ 120,00/ pessoa. Em Tiradentes os preços variavam entre esse valor e o dobro.

 

Geral
Talvez seja melhor fazer essa trip depois da virada, quando os lugares turísticos, comércio e agências tiverem voltado a funcionar…

Sobre o tempo, a maioria dos dias foram quentes com sol, algumas noites choveram, algumas poucas manhãs amanheceram nubladas e com chuvisco.

 

Mais fotos > picasaweb.google.com/msugai