Arquivo da categoria: TV

ô lá em casa

ok, suuuper atrasado, mas sempre ótimo assistir o trio delicinha dançando…

colírio…

 

 

Anúncios

Praça do Rossio, Praça do Comércio, Miradouro de Santa Luzia & Castelo de São Jorge | Lisboa

Lisboa!

Fácil reconhecer pontos em comum da terrinha de cá com a de lá, além da língua, tem o jeito simpático de tratar as pessoas, a espontaneidade, o humor, e a gentileza com o outro.

A cidade tem a parte baixa e alta. Alguns lugares ficam na parte superior de uma ladeira sem vergonha, mas tem os funiculares (elevadores) e elétricos (bondinhos) para facilitar a nossa vida.

Praça do Rossio, fica na parte inferior da av. da Liberdade (o hotel onde me hospedei está localizado no final da parte superior). As ruas (a mais famosa é a Augusta) que continuam até a Praça do Comércio comportam vários comércios de rua e shoppings, têm desde o sapateiro que trabalha numa portinha (que fui procurar pois meu tênis novo veio com a sola lisa, e queria colocar algo anti derrapante [levei um tombo em Madri… kkk]), até grifes internacionais, tudo misturado, lembra algum lugar?

Na praça e arredores têm vários lugares para comer, desde McDonald’s até restaurantes típicos, e claro vááárias docerias (inclusive a Pastelaria da Suiça, que tem doces e salgados).

 

_DSC0044

Praça do Comércio:

_DSC0061

_DSC0062

Momento emoção em Lisboa: ver o rio Tejo ao vivo e a cores. Nossa ‘relação’ começou por conta do grupo português de fado Madredeus (para quem não conhece, procure pelos primeiros discos, com a antiga vocalista Teresa Salgado. Não aconselho escutar se estiver de coração partido, as músicas são liiindas, mas tristes), que tem canções inspiradas no rio…

_DSC0072

Rua do Comércio, onde se pode pegar o elétrico 28 para subir até o miradouro Santa Luzia e depois seguir à pé até o Castelo de São Jorge (na foto o bondinho está voltando para o centro, então tem que esperar por ele no ponto que aparece do lado direito).

_DSC0074

Vista do Miradouro de Santa Luzia:

_DSC0079

 

De lá tem placas indicando como chegar ao Castelo de São Jorge:

_DSC0097

_DSC0126

_DSC0141

É de lá que se tem as vistas mais fodásticas da cidade:

_DSC0106

_DSC0116

_DSC0120

Habitantes (exibidos) do Castelo:

Foto1141

Foto1143

Foto1142

Bem neste local tem um restaurante bom para almoçar (sistema a la carte e buffet, e que ao contrário da maioria dos que ficam dentro de lugares turísticos, tem preço bem em conta e funcionários mega simpáticos).

PRODUÇÃO

O metrô que sai do aeroporto é mega mão na roda, funciona super bem. Durante toda a estadia usei o cartão Lisboa viva, que você carrega com 5, 10 ou 15 euros, e utiliza até acabar o ‘crédito’, depois recarrega quantas vezes quiser nas maquininhas que ficam nas estações. Ele serve para metrô, ônibus, elétricos e trem.

Esse roteiro da parte baixa dá para fazer todo à pé. Tem gente que encara subir até o Castelo. De repente seja interessante subir com bondinho e descer caminhando, já que aí todo santo ajuda.

A entrada no Castelo é cara, mas acho sim que vale a pena conhecer o lugar…

Clima: amigo já tinha avisado que poderia pegar chuva em PT. Não peguei nenhuma torrencial (tirando durante o perrengue da conexão da volta ao BR – contarei mais à frente), só alguns chuviscos rápidos durante o dia. Por isso, se o tempo estiver bom, visite o castelo, que durante e/ ou pós chuva deve ficar bem escorregadio por conta do chão de pedras, tanto o castelo quanto o trecho para chegar lá.

Reina Sofia, Museu del Prado, Parque de El Retiro & Biblioteca Nacional | Madri

Post dedicado às artes, e para parque El Retiro, lugar liiindo e ótimo para descansar e tomar um pouco de ar (gelado).

Um dos meus grandes arrependimentos na viagem foi ter deixado Reina Sofia e Museo del Prado para o mesmo dia de roteiro…

Explico: O primeiro tem tamanho ‘normal’, você consegue ver tranquilamente todas as exposições em uma manhã (tem vários quadros do Miró). Ao contrário do segundo, que é gigaaaante de grande! Não tinha noção do quão enorme é, absurdo! Ninguém me avisou… rs

Ele não é para ser visitado em uma tarde, nem em 1 dia, quiça em 2… Portanto, se quiser ver direitinho e bem, reserve tempo. Devo ter visto 2/3 do acervo, e no final do dia, infelizmente cheguei ao ponto de nem prestar atenção direito (sim, é uma heresia dizer isso, mas…) às obras, estava cansada, com fome e decidi ir embora… snif, buá… =(

Heresia 2 é assumir que depois deste passeio, peguei ‘abuso’ de museus… Mas já passou… hahaha

Pics de Reina Sofia:

_DSC0432

_DSC0436

_DSC0471

Tem um jardim no meio que vale uma visita:

_DSC0521

Museo del Prado

_DSC0539

_DSC0546

Fui caminhando do Reina Sofia, é um trajeto lindo… Vá à pé se conseguir…

Museu Thyssen-Bornemisza (não entrei neste outro famoso museu, já estava ficando falida… rs)

_DSC0609

Parque El Retiro:

_DSC0615

_DSC0617

O que são essas árvores made by um Edward mãos de tesoura não grotesco?

_DSC0619

_DSC0623

_DSC0632

_DSC0636

_DSC0642

_DSC0650

_DSC0651

Biblioteca Nacional (tem exposições também):

_DSC0702

_DSC0700

_DSC0712

Caixa Forum (é tipo CCBB, Itaú Cultural, mantido por um banco, tem também unidade em Barcelona, perto do MNAC):

_DSC0588

PRODUÇÃO

O metrô de Madri é super fácil de usar também. Assim que desembarquei no aeroporto já comprei o ticket com 10 viagens em uma das maquininhas que ficam antes da entrada do metrô no próprio aeroporto.

Um lugar bem legal para comer é no 100 Montaditos, cervejaria (co m filiais em vários lugares do mundo)que, como diz o nome, tem váarias opções de lanches deliciosos e salada também. Você preenche a ficha que tem na mesa com seu pedido, paga no caixa e espera ser chamado. Os lanches vêm acompanhados de fritas. Com 10 euros come-se muito bem, e tem várias promoções (outra dica aproveitada de Silvia).

Reina Sofia > desça na estação Atocha, quando sair  na rua, é só virar à direita e já verá o prédio e os 2 elevadores panorâmicos externos do museu.

Friiiio > Madri estava beeem mais gelada que Barcelona. Lá tive que usar o kit completo de invernão: casacão grosso, blusas térmicas (é, sei, não é nadinha fashion, mas para bater perna temos que ser práticos), meia calça embaixo da calça (e olha que não sinto tanto frio nas pernas), touca e cachecol enrolado no rosto, sim, porque o frio era tanto que o nariz já estava doendo de respirar ar gelado.

Seriados de férias

Em algumas épocas do ano os seriados tiram umas ‘férias’, daí aproveito pra descobrir outros novos e assistir praticamente a temporada inteira, já que ele também não está no ar.

Fora os do coração como The big bang theory, The walking dead , Fringe, Chuck, Revenge e American horror story, fiquei viciada em Game of thrones, The killing & Downton Abbey.

O engraçado é que eles me lembram outras obras já produzidas.

Game of thrones é épico, mistura as disputas pelo poder em um ambiente de fábula. Li em algum lugar que é considerado a versão adulta de O senhor dos anéis, pode até ser, mas não pela narrativa e sim pelo visual.

Produzido pela HBO, então é qualidade garantida…

Downton Abbey já vi as 2 temporadas inteiras, morreeendo de curiosidade pra saber o que acontecerá com a família Crawley.

Lembra muito o filme Assassinato em Gosford Park, pois a trama também é sobre os patrões e empregados.

The killing estou terminando de ver a 1a temporada agora, e suuuper lembra Twin Peaks, projeto televisivo de David Lynch.

Em vez de “Quem matou Laura Palmer”, agora é “Quem matou Rosie Larsen”.

Claro que não tem todo aquele toque surreal de Lynch, mas tem o cadáver de uma garota, descoberta de segredos, uma Seattle  que só chove, e reviravoltas o tempo inteiro.

Um dos pontos super bacanas é a detetive-protagonista, Sarah Linden, totalmente anti-heroina! Ela não anda produzida, está sempre de cabelo amarrado, sem maquiagem, usa a mesma roupa em vários episódios, tem a vida pessoal bagunçada…

O outro é que os episódios se passam como se fosse um dia seguida do outro, não tem hiatos temporais, acho que nunca vi isso num seriado.

A 2a temporada já está garantida!

A próxima série que entrará na lista é Alcatraz, vamos ver se é tudo isso mesmo que andam falando.

Trailers: